sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

"Tenho de apertar com o Rangel, para ver se ele resolve aquele problema"


A revista Visão publicou ontem uma extensa peça sobre o processo LEX onde são identificados vários nomes relacionados com o fenómeno desportivo. No âmbito do blog só tenho interesse nos assuntos relacionados com o futebol, razão pela qual mais tarde farei um post com um resumo sobre estas questões. 

Para já quero apenas sublinhar este magnífico: "Tenho de apertar com o Rangel, para ver se ele resolve aquele problema". Está mais que visto que Luís Filipe Vieira é um verdadeiro expert no jogo do empurra e do aperto. 

Fiquem com a reportagem na integra porque estamos perante uma peça de verdadeiro serviço público. 

A reportagem









Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aqui)

quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Negócios à Benfica


Para quem ainda tem dúvidas sobre a importância do pedido de Bruno de Carvalho relativo à imprensa, parece-me que este post tirará todas as dúvidas. Meus amigos, vejam bem esta pouca vergonha.

Recuemos até aos meses de Fevereiro e Março de 2017.

"Depois combinamos pormenores sobre os bilhetes para terça"



No dia 10 de Fevereiro de 2017 Luís Bernardo, director de comunicação do Benfica, enviou um email para Raúl Vaz, na altura director do Jornal de Negócios. Neste email juntava informação sobre um prémio que o Benfica terá vencido relativo aos seus recursos humanos (suprema ironia). Para fechar o email, Luís Bernardo avisou que "depois combino pormenores sobre os bilhetes para terça". 

Ora, na terça-feira seguinte ao envio deste email, o Benfica jogou no estádio da Luz com o Borrussia de Dortmund. Não há mais informação sobre estes bilhetes nos emails disponibilizados. Não há sobre estes mas há sobre outros...

"Os benfiquistas para Dortmund"



No dia 2 de Março de 2017, Raul Vaz envia um email para Luís Bernardo com o "nome dos 5 benfiquistas para Dortmund". Importa recordar que dias depois, a 8 de Março de 2017, o Benfica jogaria na Alemanha frente ao Borussia de Dortmund. 

Raúl Vaz
Visto assim, um email deste género indicia que existiu uma conversa prévia entre o director do Jornal de Negócios e o director de comunicação do Benfica. Cerca de uma hora depois de receber o email de Raúl Vaz, Luís Bernardo reencaminha para Ana Zagalo.

"Como estamos em fase de apresentação das contas semestrais queria ser simpático"




Neste email é possível vermos o pedido de ajuda de Luís Bernardo a Ana Zagalo, Gestora Corporate - Direcção Comercial e Marketing do Benfica para arranjar mais um bilhete para o grupinho de benfiquistas. Gosto particularmente da parte em que salienta a importância de o pedido ser correspondido, porque quer fazer uma simpatia ao director do principal jornal económico do país em vésperas da apresentação das contas semestrais do Benfica. 

É mais uma daquelas cortesias com que o Benfica já nos habituou.

O programa das festas



Neste email datado de Fevereiro de  2017 é possível verificar o programa das festas, que é sempre relevante conhecermos nestes casos.

Mister, esses bilhetes foram usados?




Depois do email enviado por Luís Bernardo para Ana Zagalo, esta solicitou o número do cartão de cidadão dos amigos de Raúl Vaz para tratar do assunto. No próprio dia do jogo há um email de Nuno Bolas para Nuno Gago - o senhor das claques - com um ficheiro em que estão os nomes de todos aqueles que tinham acesso ao Estádio do Dortmund. Nesse ficheiro excel estão os nomes destes senhores assim como os seus dados de identificação. 

Posto isto, não haverá grandes dúvidas que não existiu nenhum percalço e que foram mesmo assistir à partida.

A véspera do jogo 


Agora vamos à parte gira da coisa. Atentem bem na capa do jornal de negócios na véspera do jogo do Benfica em Dortmund.

Portanto, "Só o Benfica dá lucro sem a venda de jogadores" diz o pasquim. Esta capa foi uma vergonha tão grande que na altura até fiz um post a desmontar esta autentica nojice. Antes de continuarem a ler o resto deste post devem ler esse post que fiz na altura, clicando (aqui). 

Como viram, o título desse post era "negócios de propaganda". Visto a esta distância dá-me um enorme prazer conseguir-vos "provar" que tinha razão. 

Resumindo, na edição de 7 de Março de 2017 o Jornal de negócios decidiu arranjar uma maneira de dar a volta ao resultado financeiro banal do Benfica por contraponto com o melhor resultado de sempre da história da Sporting SAD. Na altura o Sporting apresentou 46,5 Milhões de Euros de lucros. O Porto apresentou um prejuízo monstruoso na casa dos 30M e o Benfica teve 2,5 M de euros em lucros. Qual acham que seria a notícia lógica a fazer? Pois...

A "encomenda" foi escrita pelo jornaleiro Rui Barroso e o Editorial desse dia ficou a cargo do então director-adjunto André Veríssimo. André Veríssimo é hoje o director do jornal depois da saída de Raúl Vaz em Novembro passado. Curiosamente, Rui Barroso e André Veríssimo são dois benfiquistas.

A notícia já era vergonhosa, mas o editorial foi ainda mais longe, uma vez que o jornaleiro chegou ao ponto de afirmar que o Sporting teve um perdão da banca. Mais um dos soudbytes da propaganda encartilhada a ser passado por um alto quadro de um jornal, ainda por cima de um jornal económico. Maravilha.

"BdC revela desprezo pelo direito a informar e pela liberdade de expressão"


Jornal de Negócios de 20-02-2018
O print anterior foi publicado na edição do jornal da passada terça-feira e é da autoria do agora director André Veríssimo, o mesmo jornaleiro responsável pela vergonhosa capa e editorial que vimos anteriormente. Ver este artolas a escrever sobre "desprezo pelo direito de informar" por parte de Bruno de Carvalho só me dá mesmo vontade de rir. Ora digam lá que esta gente não é mesmo nojenta e do mais reles que pode existir. Não têm o mínimo respeito pelos leitores e pela profissão que exercem. São umas verdadeira marionetas. 

Para fechar o assunto com André Veríssimo gostaria apenas de esclarecer que Bruno de Carvalho não despreza o direito de informar. Despreza é jornaleiros da estirpe deste senhor. Sentimento partilhado pela esmagadora maioria de Sportinguistas. Eu sou um deles. 

Vamos continuar porque ainda há mais...

O dia do "maestro"



Três dias depois, a 10 de Março de 2017 foi a vez de Rui Costa dar uma grande entrevista de sete páginas ao jornal. Sim, leram bem, foram mesmo sete páginas. Curiosamente, também fiz um post na altura a falar sobre esta situação. Mais uma vez, devem ler esse post antes de continuarem com a leitura deste post. Podem fazê-lo clicando (aqui).

Resumindo, nesse post considerei completamente inapropriado ver Rui Costa a dar uma entrevista a um jornal económico. Não percebi e levantei dúvidas sobre o motivo pelo qual um antigo jogador de futebol teria capacidade para acrescentar algo sobre economia e finanças. Neste momento os leitores devem ter percebido o porquê desta entrevista. 

Nesse post falei inclusivamente do lançamento de novas obrigações por parte do Benfica e considerei que a entrevista de Rui Costa assim como a notícia "encomendada" dias antes se inseria numa estratégia de propaganda à saúde financeira do Benfica. Uma estratégia cujo pontapé de saída tinha sido dado por Luís Filipe Vieira numa entrevista ao Correio da Manhã dias antes. Curiosamente, Correio da Manhã e Jornal de Negócios são do mesmo grupo, a Cofina.

Na altura em que saiu essa notícia, desmontei toda a questão das obrigações e falei sobre o novo lançamento de obrigações. Mais uma vez, tinha razão. Querem ver...

Obrigações para que te quero...


11 dias depois do pedido de bilhetes para Dortmund, 5 dias depois da vergonhosa capa sobre o resultados financeiros e 3 dias depois da entrevista de Rui Costa, Luís Bernardo enviou o seguinte email para Raúl Vaz.


Ora cá estão as nossas amigas obrigações e a necessidade de propagandear a saúde financeira do Benfica numa manobra para enganar o mercado e eventuais investidores. Uma autêntica maravilha. Reparem no ponto nº 1 da estratégia de propaganda: "Entrevista a Domingos Soares de Oliveira". 

Agora vejam o que aconteceu no edição de 4 de Abril de 2017, cerca de três semanas depois deste email:

Capa Jornal de Negócios de 4 de Abril de 2017

De facto, esta vida está mesmo cheia de coincidências e curiosidades, não está? 

Para fechar


Agora é que eu quero ver o sindicato dos jornalistas, a ERC, a CMVM e afins a virem a terreiro falar sobre esta pouca vergonha. Quero ver também as crónicas, editoriais e notícias sobre isto. Agora é a vez de os senhores jornalistas - se ainda existir algum por ai - fazerem o seu trabalho, verificarem toda esta informação e descobrirem rapidamente quem são os 5 amigos de Raúl Vaz que tiverem direito a bilhetes para acompanharem o Benfica em Dortmund. Fica também ao cuidado da PJ averiguar tudo isto. 

Ainda há alguém por ai alguém com dúvidas sobre a posição tomada por Bruno de Carvalho? É bom que todos os Sportinguistas abram os olhos e se juntem a esta luta. Está nas vossas mãos mudar este estado de coisas. Não comprem estes pasquins, não ofereçam audiências a esta gente, não partilhem as suas notícias nas redes sociais, etc. Quando este efeito começar a notar-se no bolso deles as coisas vão mudar. Por outro lado é bom que ajudem e partilhar as denúncias feitas na blogosfera e nas redes sociais. Só assim será possível mudarmos. 

Está nas vossas mãos.

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aqui)

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

Bardamerda


No final da última Assembleia geral o presidente do Sporting teceu algumas considerações sobre a imprensa nacional. Declarações essas que tiveram grande repercussão em alguns grupos de interesses. Mas já lá vou. Primeiro parece-me muito importante analisar as declarações e sobretudo fazer um enquadramento ao contexto em que foram proferidas. 

A declaração de Bruno de Carvalho



Demasiada exposição mediática e os posts Facebook


A pasquinada não sabe, mas durante a AG alguns sócios pediram para que Bruno de Carvalho se resguardasse mais dos holofotes e fizesse menos posts no Facebook. Desde logo, este enquadramento era necessário ser feito por quem quer analisar seriamente a posição do Presidente do Sporting. E os jornalistas não fizeram este enquadramento por óbvia má vontade, até porque esta questão foi referida pelo presidente leonino no início da sua declaração final que teve transmissão na Sporting TV.

Passo a citar: "Vocês todos de uma maneira geral, pediram para que eu fizesse alterações. Certo. Estou nessa disposição. Mas para eu fazer aquelas alterações que tenho de fazer: expor-me menos, ir menos ao Facebook. Então, os Sportinguistas vão ter de ser mobilizar naquilo que é a militância e eu vou explicar o que é."

No seguimento Bruno de Carvalho pediu aos Sportinguistas para deixarem de comprar jornais desportivos e o Correio da Manhã; que não vissem programas televisivos portugueses de debate desportivo e que vissem apenas a Sporting TV; e que os comentadores Sportinguistas saíssem dos programas onde estão.

O sindicato dos jornaleiros


No dia seguinte, logo pela hora do almoço chegou a primeira reação vinda do sindicato dos jornalistas. Reparem bem nisto:


Sofia Branco, presidente do sindicato dos jornalistas diz que "as declarações do Presidente do Sporting são profundamente anti-democráticas e têm como objectivo condicionar a liberdade de imprensa". É importante desmontar esta declaração em duas partes.

Começo pela treta do anti-democrático. Quem teve uma declaração profundamente anti-democrática foi esta senhora ao condenar a opinião livre e o apelo de Bruno de Carvalho aos Sportinguistas. Qualquer cidadão tem legitimidade para dizer o que pensa e a pedir o que quiser. Por exemplo, na RTP há um novo programa que apela aos portugueses para comprarem produtos nacionais e abandonarem a compra de produtos estrangeiros. Eu pergunto: Esse programa também é anti-democrático? Quando em Portugal foi feita uma campanha anti produtos fabricados na Indonésia - com forte empenho da comunicação social - também estávamos todos a ser "anti-democráticos"?

Mas a patetice não se ficou por aqui. Olhando agora para o "condicionar a liberdade de imprensa". O presidente pediu aos Sportinguistas para não darem atenção a alguma imprensa, precisamente por considerar que não existe nesses órgãos uma verdadeira liberdade. Onde é que apelar para que os Sportinguistas não consumam esta imprensa condiciona a sua liberdade? Amigos jornaleiros, escrevam o que quiserem, como quiserem e para quem quiserem. Nós não queremos saber, porque simplesmente não acreditamos em vocês.

Mas ainda há mais, muito mais.

Uma posição concertada e as coincidências do costume


No final do vídeo anterior, Sofia Branco apelou "às direcções editoriais que se juntem, reflictam em conjunto e achamos que era importante que a resposta dada fosse colectiva e que impusesse uma forma de actuar face a este clube". 

Ora, esta declaração foi feita no Domingo de manhã e ao final da tarde foi boicotada a conferência de imprensa de Jorge Jesus.


Portanto, os senhores que acusam o presidente do Sporting de ser anti-democrático e de condicionar a liberdade de imprensa decidiram boicotar eles próprios uma CI punindo os seus telespectadores de terem acesso a essa informação. Telespectadores de todos os clubes que por certo teriam interesse em verem esta CI. É engraçado que o boicote só serviu para a CI. É que durante as emissões dessa mesma noite e dos dias seguintes o principal tema de conversa nesses canais passa por atacar Bruno de Carvalho e o Sporting. Ora digam lá que isto não é maravilhoso.

Ainda estão com dúvidas que Bruno de Carvalho e os Sportinguistas têm razão para não verem e lerem o que é produzido por esta gente? Se estão, tenho aqui mais coisas giras.

O Benfiquista de Paredes


É muito curioso que a única declaração em vídeo de Sofia Branco, presidente do sindicato dos jornalistas, tenha sido dada em exclusivo à RTP. É ainda mais curioso verificarmos que essa declaração foi dada para o jornal da Tarde que é da responsabilidade de Carlos Daniel que como vimos no vídeo anterior apresentou o jornal.

Curiosamente, vejam lá quem é que faz parte da direcção do sindicato de jornalistas...


Isto de facto há mesmo coincidências incríveis. Carlos Daniel, mais conhecido como Benfiquista de Paredes, foi um dos jornalistas convidados pelo Sporting para a sessão de esclarecimento sobre os pontos em análise na última Assembleia Geral. Curiosamente, também não apareceu. Nem ele nem os outros 3 jornalistas de órgãos designados de serviço público, num caso que já falei (aqui). Os Sportinguistas andaram a levar com propaganda mentirosa nas televisões durante três semanas e na hora em que o Sporting convocou os jornalistas para lhes tirar todas as dúvidas, ficaram em casa. Maravilhoso, não é? Um verdadeiro serviço público.

Provavelmente, Carlos Daniel não foi à sessão de esclarecimento porque já estava devidamente esclarecido pelos seus amigos.

Carlos Daniel em confraternização com alguns Sportingados e benfiquistas - Destaque para Sérgio Abrantes Mendes, Manuel José, João Barnabé, Vítor Ferreira e Carlos Seixas
É muito provável que nesta reunião "familiar" o "benfiquista de Paredes" tenha ficado devidamente esclarecido sobre os pontos em análise na AG leonina.

Assim como estava sempre bem esclarecido sobre tudo o que se passava no Sporting nos tempos de Marco Silva, o tal treinador que disse a jornalistas que não seria o presidente a tirá-lo do Sporting, mas que seria ele a tirar Bruno de Carvalho do Sporting. Algo que foi confirmado pelo próprio Bruno de Carvalho na última AG.

Marco Silva e Rui Costa apresentaram o livro de Carlos Daniel
Curiosamente, Bruno de Carvalho também confirmou que tudo o que havia sobre MArco Silva para passar no Record tinha de ir obrigatoriamente ao lápis vermelho de Nuno Farinha. Outro dos grandes amigos de Carlos Daniel.


Coincidências da vida...

Veio mesmo a calhar


Mas as coincidências não se ficam por aqui. Durante meses ninguém reparou que o sindicato de jornalistas existia e muito menos na sua presidente. É engraçado que o sindicato e a sua presidente não tenham aberto a boca nem mesmo quando o Benfica tentou "condicionar a liberdade de imprensa" com as ameaças a jornalistas e jornais em caso de publicação de notícias sobre o caso dos emails.

Portanto, pedir aos sócios para não consumirem imprensa é um crime de lesa-pátria. Por outro lado ameaçar jornalistas e jornais com processos em tribunal no caso de publicarem algo sobre assuntos que não interessam ao Benfica, nem uma palavra. Sim senhor.

Mas esta tomada de posição tem uma explicação, meus senhores.


Olha, e não é que as eleições para o sindicato dos jornalistas se realizam precisamente hoje!? Ahhhhh isto há mesmo coincidências incríveis não há?

Portanto, a três dias do acto eleitoral a senhora do sindicato decide politizar uma declaração absolutamente normal do presidente do Sporting para aparecer e mostrar serviço. Curiosamente, tudo isto é feito com o apoio de Carlos Daniel, membro da direcção do sindicato. Melhor ainda é tudo isto ser pago com os nossos impostos.

Ainda há dúvidas sobre o pedido de Bruno de Carvalho? Se há, vou continuar...

O CNID


Depois do Sindicato dos jornalistas, veio a terreiro o CNID, associação dos jornalistas do desporto. Estes senhores condenaram "da forma mais veemente as declarações do presidente do Sporting Clube de Portugal" mas seguiram um caminho diferente do sindicato dos jornalistas. Não criticaram a posição tomada: "O presidente do Sporting Clube de Portugal tem direito a não gostar de jornais e televisões, por absurdo até tem direito a pedir aos seus consócios que não comprem jornais nem vejam televisão", mas sim o momento em que as declarações foram proferidas uma vez que estavam jornalistas no exterior da AG.

Ora, eu gostaria de perceber qual seria o momento oportuno para o Presidente do Sporting falar sobre algo que foi um dos principais temas de conversa da AG? Então os sócios pediram ao Presidente para que ele se expusesse menos no espaço público e o homem não ia dizer nada sobre isso na própria AG? Ia guardar a resposta para outro dia, querem ver? Isto de facto já começa a ser surreal. Esta gente pega em tudo para atacar o Sporting e o seu presidente.

É importante referir que nenhum jornalista foi agredido e só existiram insultos. É também preciso referir que os ânimos se exaltaram quando um operador de câmara da SIC decidiu focar a sua filmagem num sócio do Sporting que pediu para não o fazer. Está aqui a explicação do sócio, apagando a sua identidade que já foi demasiado exposta aquando da filmagem que correu o país.


As declarações de Bruno de Carvalho são tão poderosas que até conseguem ter uma efeito ainda antes de serem proferidas e em adeptos rivais. Vejamos o que aconteceu no Estádio da Luz três horas antes do discurso do presidente leonino.


Sobre isto, o CNID e o sindicato dos jornalistas não se pronunciaram. É curioso não é? Nem sobre isto nem sobre as ameaças a jornalistas e jornais no caso dos emails. Muito menos sobre cartilhas, jornalistas avençados pelo Benfica e por ai fora.

Curiosamente, a direcção da CNID é composta por duas figuras muito conhecidas do grande público.


Ora, o seu presidente é Manuel Queirós, figura que se senta à mesa com gente da estirpe cartilheira como Diamantino Miranda, Rui Pedro Brás ou Luís Aguilar. O "presidente-adjunto" é António Magalhães, director do jornal Record e um dos jornalistas que rejeitou estar presente na sessão de esclarecimento dada pelo Sporting em relação à AG. E para fechar há ainda José Manuel Freitas, homem que ainda há dias disse isto sobre o presidente do Sporting.


As pessoas continuam a achar normal dizer "cá granda animal" referindo-se ao presidente do Sporting. E depois a culpa é de Bruno de Carvalho.


Para fechar


Bruno de Carvalho fez um apelo com o qual me identifico na integra. Quem acompanha o blog com regularidade sabe o que penso sobre a imprensa nacional. Apesar de concordar com os três pontos tendo que dizer que na questão relativa à saída dos comentadores era muito complicada de cumprir, uma vez que os comentadores afectos ao Sporting são pagos pelos serviços prestados aos canais e seria sempre um rendimento que não estariam disponíveis para abdicar. Compreendo isso perfeitamente. De qualquer forma este alerta serve também para redobrarem as atenções em relação ao que acontece nesses espaços.

Agora, ficará na consciência de cada Sportinguista aceitar ou não o pedido do Presidente do clube. De uma coisa tenha a certeza. Este pedido defende por inteiro os superiores interesses do Sporting. E no final do dia, não é isso que nos deve importar?

Podem seguir o blog nas redes sociais nos links seguintes:
Facebook: (aqui)  Twitter: (aqui)